Biblioteca Salomão Malina transmite final da batalha de poesias do Slam-DéF

Evento online tem participação de poetas e poetisas da periferia do Distrito Federal

Cleomar Almeida, assessor de comunicação da FAP

A Biblioteca Salomão Malina, mantida pela FAP (Fundação Astrojildo Pereira) em Brasília, transmite nesta quinta-feira (10) a final da batalha de poesias do Slam-DéF. O evento online terá transmissão em tempo real na página da biblioteca no Facebook.

Em novembro, o Slam-DéF realizou  batalha classificatória para preencher a última vaga da final com poetas e poetisas que se inscreveram, até o dia 19 de outubro, por meio de formulário na internet. Outra semifinal de candidatos foi realizada no dia 22 de outubro, também de forma virtual, em razão das regras de distanciamento social recomendadas por autoridades sanitárias durante a pandemia do coronavírus.

Assista ao vídeo!



Assim como nas edições presenciais, que eram realizadas até o início da pandemia da covid-19, a competição contará com a participação de jurados voluntários, convidados pelo coordenador e produtor do Slam DéF, Will Júnio.  Eles também participarão virtualmente para votar nas melhoras performances poéticas dos inscritos.

Interessados podem solicitar mais informações por meio do whatsapp oficial da Biblioteca Salomão Malina (61 984015561).

O slam nasceu em Chicago, Estados Unidos, nos anos 1980. Chegou ao Brasil duas décadas depois. No Distrito Federal, começou em 2015, com o Slam-DéF, que também atua no Entorno. O grupo integra diversas pessoas de qualquer idade, cor, raça, etnia e orientação sexual.


Webinar da Biblioteca Salomão Malina mostra dica de organizar livros

Evento será realizado nesta quinta-feira (3), com participação das bibliotecárias Marina Grande e Thalyta Jubé

Cleomar Almeida, assessor de comunicação da FAP

Internautas receberão dicas de como organizar seu acervo de livros de forma simples e personalizada, em webinar, nesta quinta-feira (3), que será realizado pela Biblioteca Salomão Malina, mantida pela FAP (Fundação Astrojildo Pereira), em Brasília. O evento terá transmissão online pela página da biblioteca no Facebook.

A fundação realizará a retransmissão em tempo real em seu site. As dicas serão compartilhadas pela bibliotecária Marina Grande, em evento que terá mediação da coordenadora da Biblioteca Salomão Malina, Thalyta Jubé.

Confira o vídeo!

"Muitas pessoas têm coleções de livros em casa, mas não sabem como otimizar a organização deles. Marina Grande dará dicas para pessoas que não possuem conhecimento técnico em biblioteconomia, mas que desejam manter sua biblioteca pessoal organizada", afirma Thalyta.

Sobre Marina Grande
Nasceu na África do Sul e morou em Moçambique até os 7 anos de idade. Mudou-se para Brasília e seguiu com a educação bilíngue. Graduada em Biblioteconomia pela biblioteconomia pela UnB (Universidade de Brasília), Marina, desde o primeiro semestre, fez estágio nas mais diversas bibliotecas (escolar, de escritório de advocacia, órgãos públicos, para deficientes visuais). Também já atuou com restauração de obras raras e em empresas no exterior.

Em 2012, teve sua primeira cliente para a organização de sua biblioteca pessoal. Desde então, nunca mais saiu desse nicho. Em 2016, decidiu expandir sua área de atuação se especializou em organização residencial, empresarial e digital. Em seu perfil no Instagram (@marinagrandepo), compartilha dicas de organização.

Veja vídeos de outros webinars da Biblioteca Salomão Malina:

Biblioteca Salomão Malina realiza webinar sobre cultura e representação política

Educação de excelência com equidade é tema de webinar da Biblioteca Salomão Malina

Historiadores debatem 50 anos da Unidade Popular em live da Biblioteca Salomão Malina

Webinar da Biblioteca Salomão Malina discute desafios da educação pós-pandemia

Webinar da Biblioteca Salomão Malina discute saúde mental no novo normal

Desafios do empreendedorismo feminino é tema de live da Biblioteca Salomão Malina

Webinar da Biblioteca Salomão Malina discute desafios para vida nas periferias

Marina Silva e Roberto Freire discutem sustentabilidade em webinar

Especialistas participam de webinar para debater economia após pandemia

“O que virá depois?” é tema de webinar da Biblioteca Salomão Malina


Diretores e conselheiros da FAP tomam posse comprometidos com ‘salto de qualidade’

Novos integrantes da Fundação Astrojildo Pereira aprovaram propostas para biênio 2020-2022

Cleomar Almeida, assessor de comunicação da FAP

Integrantes da nova composição da diretoria e dos Conselhos Curador, Consultivo e Fiscal da FAP (Fundação Astrojildo Pereira) tomaram posse, nesta quinta-feira (19), na primeira reunião do biênio 2020-2022, em evento online transmitido no site e na página da entidade no Facebook. Na ocasião, eles também aprovaram, por unanimidade, o planejamento orçamentário da instituição e a criação de fundo de reserva, a fim de fortalecer a visão de ela ser referência para a cultura e a política democrática no Brasil.

Assista ao vídeo!



O novo presidente do Conselho Curador da FAP, médico Luciano Rezende, disse ser uma honra estar à frente do colegiado de “uma das fundações político-partidárias mais atuantes do país”. “Vamos contribuir muito com a formação de quadros”, afirmou, acrescentando que terá mais condições de colaborar com os trabalhos a partir de janeiro de 2021. Em dezembro, ele finda o seu segundo mandato como prefeito de Vitória (ES).

Em seguida, cada um dos conselheiros presentes se apresentou aos demais, destacando suas largas experiências em defesa de uma sociedade mais democrática, menos injusta, menos desigual e menos excludente. Todos se propuseram a fortalecer a missão da FAP de promover o estudo e a reflexão crítica da sociedade, para construir referencias teóricas e culturais relevantes para a reforma, a defesa e a consolidação do Estado Democrático de Direito.

Novo diretor-geral da FAP, Caetano Araújo explicou a necessidade de implementação de novo organograma da entidade, com reordenamento de recursos para a área de comunicação. “O aumento da área de comunicação se revelou fundamental neste período da pandemia”, ressaltou, detalhando como a criação de cargos de superintendente-geral, gerente de comunicação e de coordenadores de audiovisual, mídias digitais e de publicações deverá aumentar o alcance das ações da fundação junto à sociedade.

“A fundação tem, para implementar suas atividades, diversos instrumentos [de divulgação], como revistas impressas e online, publicações de livros e material audiovisual”, disse Araújo. “Para o próximo biênio, pretendemos dar salto de qualidade”, acrescentou. Ele lembrou, ainda, que o site da FAP já alcançou 201.203 acessos únicos, de janeiro a outubro deste ano, apenas com suas publicações.

Grupos temáticos

Os integrantes do Conselho Curador da FAP também concordaram com sugestão de a entidade criar grupos temáticos para discussão de questões relevantes e de interesse público. A proposta é de que, inicialmente, sejam criadas ao menos 20 comissões para debater, por exemplo, racismo e raça, meio ambiente, políticas econômicas e gênero, a fim de colaborar para sugestão e implementação de políticas públicas em cada área.

“O apelo que a gente faz é para que os conselheiros se engajem nos temas de sua referência ou proponham outros. Que todos estejam em contato permanente com outros com os quais há afinidade temática”, ressaltou o diretor-geral. Segundo ele, todas as ações da FAP serão amplamente divulgadas em notícias no site, nas revistas impressa e online, na TV FAP – que será criada futuramente – e nos eventos virtuais e, quando a pandemia do coronavírus passar, também em seminários e encontros presenciais.

A nova diretoria também definiu três temas que devem orientar a atuação da FAP, com base em grandes datas que serão celebradas em 2022: o Bicentenário da Independência, o Centenário da Semana de Arte Moderna e o Centenário da fundação do PCB (Partido Comunista Brasileiro), criado em 1922 e que, posteriormente, evoluiu para o PPS (Partido Popular Socialista), para o qual o Cidadania garantiu nova identidade política.

Planejamento

O diretor-financeiro, Raimundo Benoni, que também tomou posse nesta quinta-feira, explicou que o planejamento orçamentário da FAP foi pautado no planejamento estratégico, definido após a realização de três seminários online, e nas diretrizes da fundação. De acordo com ele, por causa da pandemia, o ano de 2020 tem sido atípico, mas vem deixando experiências interessantes em relação à diminuição de custos.

“A experiência mostra que as reuniões online são produtivas, e poderemos explorar um pouco mais isso para reduzir o custo”, afirmou Benoni. Segundo ele, a realização de encontros virtuais poderá reduzir em torno de 60% o gasto com despesas da direção da FAP. Ele também explicou que a criação de um fundo de reserva é importante para “garantir saúde financeira da fundação”.


CONHEÇA OS NOVOS DIRETORES E CONSELHEIROS DA FAP

DIRETORIA

  • Caetano Ernesto Pereira de Araújo (Diretor Geral) – DF

Graduado em Sociologia pela Universidade de Brasília (1976), mestrado em Sociologia pela Universidade de Brasília (1980) e doutorado em Sociologia pela Universidade de Brasília (1992). Atualmente é consultor legislativo do Senado Federal. Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Teoria Sociológica e Sociologia Política.

  • Raimundo Benoni Franco (Diretor Financeiro) – MG

Ouvidor e Superintendente da CEMIG, com destaque no relacionamento com clientes e Instituições do Setor Elétrico, em especial a ANEEL – Agencia Nacional de Energia Elétrica. Foi secretário de Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste do Estado de Minas e secretário Nacional de Infraestrutura Cultural no Ministério da Cultura.

  • Ana Stela Alves de Lima – SP

Membro do diretório municipal de Campinas (SP). Bancária, é presidente do Sindicato dos Bancários de Campinas (SP)

  • Ciro Gondim Leichsenring – SP

Psicólogo. Foi diretor financeiro da Fundação Astrojildo Pereira (FAP) na gestão 2018-2020.

  • Jane Monteiro Neves – PA

Professora da Universidade do Estado do Pará (UEPA), especialista em processos educacionais (2012 a 2013 – IEP/Sirio Libanês). Foi diretora de Extensão e coordenadora do curso de graduação em Enfermagem da UEPA. Também é diretora de Atenção Primária (Atenção a Saúde) da Secretaria de Estado de Saúde Pública do Estado do Pará.

  • Marco Aurelio Marrafon – MT

Doutor (2008) e Mestre (2005) em Direito do Estado pela Universidade Federal do Paraná – UFPR, com estudos doutorais (sanduíche) na Università degli Studi di ROMA TRE – Itália, sob orientação do Prof. Eligio Resta. Graduado em Direito pela Universidade Federal de Mato Grosso (2002). É professor da disciplina de Direito e Pensamento Político na graduação, mestrado e doutorado em Direito da Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ. Presidente da Academia Brasileira de Direito Constitucional – ABDConst. Foi coordenador da Jornada da Cidadania e da Jornada da Vitória.

  • José Frederico Lyra Netto – GO

Engenheiro Mecatrônico pela Unicamp, mestre em Políticas Públicas pela universidade de Harvard, ex-consultor sênior da FALCONI (principal consultoria brasileira de gestão), co-fundador do Vetor Brasil, Co-fundador do Movimento Acredito.


CONSELHOR CURADOR

Membros titulares:

  • Luciano Santos Rezende (Presidente) – ES

Médico pela Universidade Federal do Espírito Santo e pós-graduado em Medicina Esportiva pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Foi prefeito de Vitória por dois mandatos, vereador da cidade por quatro mandatos, secretário de Saúde e de Educação do município. Foi também secretário de Estado de Esportes e Lazer e deputado estadual.

  • Bazileu Alves Margarido Neto (Vice-Presidente) – SP

Engenheiro de produção e mestre em economia. Já foi presidente do Ibama (2007-2008), secretário de Fazenda de São Carlos-SP (2001-2002), chefe de gabinete da ministra de meio ambiente Marina Silva de 2003 a 2007 e atualmente é assessor econômico da liderança na Rede no Senado.

  • Juarez Amorim – MG

Médico, ex-secretário de Meio Ambiente de Belo Horizonte (MG), ex-diretor Metropolitano da Cia. de Saneamento de Minas Gerais (COPASA) e dirigente partidário do PCB, do PPS e do Cidadania.

  • Arlindo Fernandes de Oliveira – DF

Consultor Legislativo do Senado Federal nas áreas de Direito Constitucional, Direito Eleitoral e Processo Legislativo desde 1996. Bacharel em Direito, Especialista em Direito Constitucional e em Ciência Política. Foi assessor na Câmara dos Deputados, na Assembleia Nacional Constituinte e na Presidência da República e Analista Judiciário no Supremo Tribunal Federal.

  • Alexandre de Almeida Youssef – SP

Gestor Cultural. Coordenador do Bloco da Cultura. Mestre em Filosofia Política, graduado em Direito. Autor de “Novo Poder: Democracia e Tecnologia” e “Baixo Augusta: a cidade é nossa”. Foi secretário de Cultura de São Paulo e fundador do Acadêmicos do Baixo Augusta e o Studio SP.

  • Alberto Aggio – SP

Historiador, professor titular da Unesp, ex-diretor da Fundação Astrojildo Pereira (FAP), organizador do Blog do Aggio – Horizontes Democráticos.

  • Dora Kaufman – SP

Professora do Programa Tecnologias da Inteligência e Design Digital da Faculdade de Ciências Exatas e Tecnologia da PUC SP. Pós-doutora pela COPPE-UFRJ e pelo TIDD PUCSP. Doutora ECA-USP com período na Université Paris – Sorbonne IV. Economista PUC-RJ. Professora convidada da Fundação Dom Cabral/FDC. Coautora do livro “Empresas e Consumidores em Rede: um Estudo das Práticas Colaborativas no Brasil” e autora dos livros “O Despertar de Gulliver: os desafios das empresas nas redes digitais”, e “A inteligência artificial irá suplantar a inteligência humana?”. Colunista da Época Negócios.

  • Eliana Calmon Alves – DF

Jurista e magistrada brasileira aposentada, primeira mulher a compor o Superior Tribunal de Justiça (STJ), no qual ocupou o cargo de ministra no período de 1999 a 2013. Também foi corregedora-geral de Justiça e diretora-geral da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados ministro Sálvio de Figueiredo (Enfam). Atualmente, é advogada estabelecida em Brasília.

  • Eliseu de Oliveira Neto – DF

Psicólogo, psicanalista, psicopedagogo, professor universitário. Assessor legislativo do Senado Federal. Coordenador do Diversidade23 e de advocacy da Aliança Nacional LGBTI. Responsável pela criminalização da lgbtfobia, articulador do nome social no ensino básico, da doação de sangue por gays e mulheres Trans . Foi consultor da pauta LGBTI na BNCC.

  • George Gurgel de Oliveira – BA

Professor da UFBA,  da cátedra da Unesco em Sustentabilidade. Conselheiro do Instituto Politécnico da Bahia e da diretoria do Museu da Cultura Afro-brasileira da Bahia.

  • Ivair Augusto Alves dos Santos – SP

Químico, mestre em Ciência Política pela Universidade de Campinas (Unicamp), doutor em Sociologia pela Universidade de Brasília (Unb). Ex-diretor do Departamento de Direitos Humanos da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

  • Jane Maria Vilas Bôas – DF

Antropóloga, coordenadora de Comunicação da executiva nacional da Rede e fundadora do movimento Nosso Lago. Foi presidente do Instituto Brasilia Ambiental (2015 a 2017).

  • Leandro Machado da Rosa – SP

Cientista político pela Universidade de Brasília (UnB), possui mestrando em Administração Pública pela Harvard University. Professor na Fundação Getúlio Vargas e criador de organizações cívicas como Agora!, RAPS e TemMeuVoto.

  • Lenise Menezes Loureiro – ES

Advogada (está secretária Estadual de Gestão e Recursos Humanos do ES)

  • Ligia Bahia – RJ

Professora associada da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Possui graduação em Medicina pela UFRJ, mestrado em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz e doutorado em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz.

  • Luiz Carlos Azedo – DF

Jornalista e colunista político do Correio Braziliense e do Estado de Minas. Foi diretor-geral da Fundação Astrojildo Pereira (FAP). Trabalhou nos jornais O Globo (Rj), Diário Popular (SP), O Dia (RJ), Última Hora (RJ) e o Correio da Manhã (RJ). Dirigiu o semanário político nacional, Voz da Unidade. Ex-diretor da Companhia de Notícias (SP), foi apresentador do Programa 3 a 1 (TV Brasil) e comentarista político da TV Gazeta (SP).

  • Marcus Vinícius Furtado da Silva Oliveira – MG

Graduado em História pela Universidade Federal do Triângulo (UFTM) e mestre e doutor em História e Cultura Política pela Universidade Estadual Paulista (UNESP). É autor dos livros “Em um rabo de foguete: trauma e cultura política em Ferreira Gullar” e “A arquitetura fractal de Antonio Gramsci: História e política nos Cadernos do Cárcere”, ambos publicados pela FAP. Atualmente é professor de História nas escolas da rede privada de Uberaba (MG).

  • Maria Dulce Reis Galindo – RJ

Professora de Língua Portuguesa e Literaturas, ex-subsecretária de Cultura de Niterói, ex-chefe de gabinete do deputado estadual Comte Bittencourt, chefe de gabinete do Secretário de Educação do Estado do Rio de Janeiro (RJ).

  • Maria Terezinha Carrara Lelis – MG

Psicóloga, diretora do Instinto Ecos na Educação, desenvolvendo projetos com professores, mestre em educação. Na FAP, coordenadora do Encontro de Jovens Lideranças.

  • Sergio Basserman – RJ

Professor do Departamento de economia da PUC e coordenador estratégico do Climate Reality Project no Brasil.  Ex-diretor do BNDES,  ex-presidente do IBGE, do Instituto Pereira Passos, e do Jardim Botânico do Rio de Janeiro (RJ).

  • Sionei Ricardo Leão de Araújo – DF

Jornalista, especialista em história militar, autor do documentário Kamba race – notas sobre a questão racial no exército brasileiro. Foi coordenador do Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial do Ministério dos Direitos Humanos/Seppir, entre 09/2017 até 02/2019, diretor do Departamento de Proteção ao Patrimônio Afro-Brasileiro (DPA) e presidente substituto da Fundação Cultural Palmares – 2019/2020.

  • Tibério Canuto de Queiroz Portela – SP

Jornalista, iniciou sua profissão no Jornal da Bahia. Chefe de redação da sucursal do jornal Movimento, presidente do Jornal Em Tempo, foi assessor parlamentar de Fernando Morais e Paulo Renato. Coordenador de comunicação da campanha Roberto Freire presidente, assessor sindical. Atualmente é coordenador da Roda Democrática.

  • Vinícius De Bragança Müller e Oliveira – SP

Doutor em História Econômica, mestre em Economia e Bacharel em História. Professor há 25 anos com experiência em educação básica, ensino superior e pós-graduação. Atualmente é professor do INSPER, da FECAP e do CLP. Autor de “Educação Básica, Financiamento e Autonomia Regional: Pernambuco, São Paulo e Rio Grande do Sul (1850-1930).


Membros Suplentes

  • Luzia Maria Ferreira – MG

Bióloga, pós-graduada em administração pública, primeira mulher presidente da câmara municipal de Belo Horizonte, foi deputada estadual e federal por Minas Gerais. Atualmente é secretaria de Desenvolvimento Social e Segurança Alimentar de Contagem (MG).

  • Cezar Rogelio Vasquez – RJ

Engenheiro de Produção pela UFRJ, mestre em Engenharia de Produção pela Coppe/UFRJ, MBA Finanças IBMEC, MBA liderança e gestão pública pelo CLP. Experiência no setor público e como dirigente do Sebrae.

  • Miguel Arcangelo Ribeiro – RJ

Advogado, presidente da fundação Educacilnale Cultural de Nova Iguaçu (RJ). Presidente do Cidadania em Nova Iguaçu, membro da executiva estadual do Rio de Janeiro, coordenador do cidadania na Baixada Fluminense. Pós-graduado em Direito do Consumidor pela Escola de Magistratura do estado do Rio de Janeiro.

  • Indaiá Griebeler Pacheco – SC

Advogada, especialista em direitos eleitoral, graduanda em filosofia pela UFSC e integrante do Renova BR.

  • José Maria Quadros de Alencar – PA

Graduado em Direito (UFPA), especialista em Planejamento do Desenvolvimento de Áreas Amazônicas (PLADES/NAEA/UFPA). É desembargador do Trabalho (aposentado) do TRT8 e consultor organizacional.


CONSELHO FISCAL

Membros titulares:

  • Benjamin Benzaquen Sicsú (Presidente) – DF

Engenheiro, trabalhou em governança municipais de SP e BSB (Sec. de Meio Ambiente em 1985), Estaduais e Federais (BNDES, Sec. Executivo do Ministro de Industrias e Comercio governo FHC,11 meses no cargo de ministro), vice-presidente para AL da Samsung (de 2003 a 2017), atualmente presidente do Conselho de administração da Fundação Amazonas Sustentável e conselheiro da Fundação Mathias Machline, escola de ensino técnico para jovens muito carentes com 1000 alunos e 94% de aprovação em ensino público superior.

  • Marluce Maria de Paula – SP

Advogada, ouvidora da Secretaria da Agricultura do Estado de São Paulo. É especialista em Direito Eleitoral e Direito Público.

  • Carlos Alberto Muller Lima Torres – DF

Professor aposentado do curso de Administração da UnB. Foi deputado distrital de Brasília entre os anos de 1990 a 1994. Criador do movimento Vamos pra Rua? de Brasília.

  • José Arnor Brito Silva – DF

Formado em História, foi membro da executiva do Plano Piloto e do diretório regional do PPS no Distrito Federal.


Membros Suplentes:

  • Paulo Morais Santa Rosa – DF

Médico e especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental. É assessor técnico da Câmara dos Deputados.


CONSELHO CONSULTIVO

  • Cristovam Ricardo Cavalcanti Buarque (Presidente) – DF

Engenheiro mecânico, economista, educador, professor universitário e político brasileiro filiado ao Cidadania. É o criador do Bolsa-Escola, que foi implantada pela primeira vez em seu governo no Distrito Federal. Foi reitor da Universidade de Brasília, de 1985 a 1989, governador do Distrito Federal, de 1995 a 1998, e eleito senador pelo Distrito Federal em 2002. Foi Ministro da Educação entre 2003 e 2004, no primeiro mandato de Lula, e reeleito nas eleições de 2010 para o Senado pelo Distrito Federal, com mandato até 2018. Desde 2020, é membro do grupo científico Justiça penal italiana, europeia e internacional do Iberojur, coordenado por Bruna Capparelli.

  • Nestor da Costa Borba (Sec. Executivo) – DF

Professor, economista, assessor parlamentar. Especialista em sustentabilidade e economia do setor público.

  • Alexandre Pessoa da Siva – SP

Engenheiro Químico, mestre em Química (Academia de Minas de Freiberg) e doutor em Ciências (USP). Coordenador de Estudos de Avaliação de Risco à Saúde Humana em áreas contaminadas.

  • Amílcar Baiardi – BA

Professor da Universidade Católica do Salvador (BA) e professor titular aposentado da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, atuando também como professor permanente do programa de pós-graduação em Ensino, Filosofia e História da Ciência, da Universidade Federal da Bahia e da Universidade Estadual de Feira de Santana.

  • Anderson Martins – DF

Assessor Técnico Legislativo nas áreas de viação, transporte, trânsito e mobilidade urbana, fiscalização financeira e controle e de esporte na Câmara dos Deputados.

  • André Gomyde Porto – ES

Presidente do Instituto Brasileiro de Cidades Inteligentes, Humanas e Sustentáveis. Estrategista, empreendedor e pesquisador, com importante experiência em gestão estratégica de projetos complexos para o desenvolvimento econômico e para a inovação.

  • Any Machado Ortiz – RS

Advogada, exerce atualmente o mandato de deputada estadual do Rio Grande do Sul (RS) pelo Cidadania.

  • Elimar Pinheiro do Nascimento – DF

Sociólogo, cientista político e cientista socioambiental, professor dos Programas de Pós-Graduação de Desenvolvimento Sustentável, do Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília (CDS/UnB) e de Ciência do Ambiente e Sustentabilidade da Amazônia do Centro de Ciências Ambientais da Universidade Federal do Amazonas (CASA/UFAM).

  • Gisele Louise Serzebelo Correa Santoro – DF

Coreógrafa. Foi professora na Alemanha, na Itália, no Paraguai e nos Estados Unidos. Coreógrafa e maitrê de balé em pelo menos 11 cidades do mundo. É membro do Conselho Internacional da Dança da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

  • Hamilton Garcia de Lima – SP

Cientista político, professor associado em Ciência Política da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF).

  • Henrique Mendes Dau – SP

Estudante de Economia pelo Insper e coordenador político da Juventude do Cidadania23 no estado de São Paulo.

  • Carlos Alberto Ivanir dos Santos - RJ

Pós- doutorando em História Comparada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGHC/UFRJ). Doutor em História Comparada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGHC/UFRJ. Pedagogo pela Notre Dame. Membro da Associação Brasileira de Pesquisadores Negros (ABPN). Pesquisador do Laboratório de História das Experiências Religiosas (LHER-UFRJ) e no Laboratório de Estudos de História Atlântica das sociedades coloniais pós coloniais (LEHA-UFRJ).

  • João da Costa Falcão Neto – BA

É produtor da banda A Cor do Som e do artista Armandinho Macedo, além de ser vice-presidente da ABRAFEST (Associação dos produtores de festivais de jazz, blues e música instrumental). É bacharel em Direito..

  • José Antônio Segatto – SP

Professor titular da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.  Tem graduação em História pela Universidade de São Paulo (1978), doutorado em História Econômica pela Universidade de São Paulo (1993) e Livre-Docência pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1999). Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia do Desenvolvimento, atuando principalmente nos seguintes temas: democracia, cidadania, literatura, política, socialismo, revolução e classes sociais

  • José Arlindo Soares – PB

Sociólogo, professor aposentado do Depto. de Ciências Sociais e do Programa de Pós- Graduação em Sociologia da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e presidente do Centro Josué de Castro.

  • José Jorge Tobias de Santana – PR

Militante estudantil como origem, presidiu, nos anos 80, o Diretório Acadêmico Rui Barbosa, da hoje Universidade Cândido Mendes. Advogado com mais de 25 anos de experiência, atuando no consultivo e contencioso, com pós graduação em Administração Pública e Gerência de Cidades. É, também, ator, cantor, compositor e produtor fonográfico e musical.

  • José Luis da Costa Oreiro – GO

Professor associado do Departamento de Economia da Universidade de Brasília, Pesquisador Nivel IB do CNPq, pesquisador associado do Centro de Estudos do Novo-Desenvolvimentismo da FGV-SP, membro senior da Post Keynesian Economics Society ( Reino Unido), editor associado da PSL Quarterly Review (Itália) e lider do grupo de pesquisa Macroeconomia estruturalista do desenvolvimento cadastrado no diretório de grupos de pesquisa do CNPq. É autor do livro “Macroeconomia do Desenvolvimento: uma perspectiva Keynesiana”, LTC: Rio de Janeiro (2016).

  • Juliet Neves Matos – RJ

Graduanda em Ciências Sociais, com ênfase em Ciências Políticas e em Gestão Pública. Especialista em desenvolvimento institucional para o terceiro setor, tendo trabalhado em grandes organizações como Anistia Internacional e Cáritas Arquidiocesana.

  • Luciano de Freitas Pinho – SP

Sociólogo, assessor da Reitoria na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

  • Luiz Sérgio do Nascimento Henriques – MG

Tradutor e ensaísta, é um dos organizadores das “Obras” de Gramsci no Brasil.

  • Manuel Antônio Corrêa da Costa Thedim – RJ

Economista, foi subsecretário da Secretaria Municipal do Trabalho da Cidade do Rio de Janeiro, cofundador e diretor executivo do Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade. Tem interesse nas áreas de desenvolvimento integrado e sustentável territorial e em políticas públicas de desenvolvimento, que tenham ressonância no combate à pobreza e diminuição da desigualdade.

  • Maria Amélia Rodrigues da Silva Enríquez  – PA

Economista, PhD em desenvolvimento sustentável pelo Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília. Professora e pesquisadora da Faculdade de Economia da Universidade Federal do Pará. Ex-presidente e atual Conselheira Fiscal da Sociedade Brasileira de Economia Ecológica (ECOECO). De junho de 2011 a dezembro de 2018 atuou na gestão pública do Governo do Estado do Pará; como secretária adjunta de Estado nas Secretarias de Desenvolvimento Econômico, de Indústria, Comércio e Mineração e de Ciência e Tecnologia.

  • Mauricio Rudner Huertas – SP

Jornalista, líder RAPS (Rede de Ação Política pela Sustentabilidade), editor do #Suprapartidário, idealizador do #CâmaraMan e apresentador do #ProgramaDiferente. Foi repórter da Folha de S. Paulo, entre outros veículos, secretário de Comunicação do PPS e do Cidadania, e integrou a direção executiva da FAP.

  • Paulo Fábio Dantas Neto – BA

Professor Adjunto da Universidade Federal da Bahia e dirige o Centro de Recursos Humanos, órgão suplementar de pesquisa da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da mesma Universidade. Possui bacharelado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal da Bahia (1978), Mestrado em Administração pela Universidade Federal da Bahia (1996) e Doutorado em Ciências Humanas – Ciência Política – Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (2004).

  • Paulo Rogério dos Santos Baía – RJ

Técnico em estatística pela ENCE/IBGE, sociólogo pela UFRJ, mestre em ciência política pela UFF, Doutor em ciências sociais pelo CPDA/UFRRJ, estágio de pós-doutorado em História Social pela UFF. Professor da UFRJ. Ex-secretário de Estado dos Direitos Humanos do Rio de Janeiro

  • Pollyana Fatima Gama Santos – SP

Professora, pedagoga, pós-Graduada em Gerência de Cidades, mestre em Desenvolvimento Humano com especialização em Liderança Executiva para Primeira Infância, Neurociência e Educação Sistêmica. Escritora, reúne publicações de literatura infantil e participação em coletâneas. Atualmente é membro do Conselho Estadual de Educação de SP e Secretária de Educação no município de Ubatuba, litoral norte de SP.

  • Renata Eitelwein Bueno – PR

Vereadora de Curitiba em 2008 e a primeira deputada ítalo-brasileira a ocupar um cargo no parlamento italiano entre 2013 e 2018. Hoje é empresária e advogada internacional, atuando no escritório Pinelli Schifani localizado em Roma.

  • Raquel Nascimento Dias – CE

Gestora pública, ativista social, gerente de suporte técnico no Projeto Awurê. Foi assessora da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Ceará (CE), assessora parlamentar na Assembleia Legislativa do Ceará, ex- coordenadora-geral de Educação para as Relações Étnico-Raciais do MEC (2017). Também foi conselheira nacional de Promoção da Igualdade Racial e conselheira Nacional pela Diversidade Religiosa, Secretária Nacional de Mulheres, coordenadora e co-fundadora do Igualdade e também do Diversidade no Cidadania.

  • Rogério Baptistini Mendes – SP

Professor na Universidade Presbiteriana Mackenzie. Pesquisador com interesse nas áreas da Sociologia Brasileira, do Pensamento Político Brasileiro e do Estado e do Desenvolvimento no Brasil. É doutor em Sociologia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp); mestre em Sociologia pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp); bacharel em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp).

  • Sérgio José Cavalcanti Buarque – PE

Economista com mestrado em sociologia, professor da FCAP/UPE, consultor em planejamento estratégico com base em cenários e desenvolvimento regional e local, sócio da Multivisão-Planejamento Estratégico e Prospecção de Cenários e da Factta-Consultoria, Estratégia e Competitividade. É sócio fundador da Factta Consultoria. Fundador e membro do Conselho Editorial da Revista Será? É membro do Movimento Ética e Democracia.

  • Sérgio Camps de Morais – RS

Economista, foi vice-presidente do Cidadania-RS e membro do Diretório Nacional do Cidadania. Presidiu a Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica (CEEE) do Rio Grande do Sul.


Ibmec-DF realiza live sobre reinvenção das cidades, com apoio da FAP e Tema editorial

Evento online será quinta-feira (26) e terá participação de autores de obra recém-lançada

Cleomar Almeida, assessor de comunicação da FAP

Apoiado pela FAP (Fundação Astrojildo Pereira) e Tema Editorial, o Ibmec-DF (Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais no Distrito Federal) vai realizar, no dia 26 de novembro, das 19h às 21h, o debate a reinvenção das cidades, mesmo título da recém-lançada edição especial da revista Política Democrática. Inscrições estão abertas no site da instituição de ensino.

Clique aqui e faça a sua inscrição no site do Ibmec!

O debate do instituto integra a programação de discussões online com especialistas autores de artigos publicados na edição especial da revista, produzida e editada pela FAP em conjunto com a Tema Editorial. A publicação foi lançada em 30 de setembro, data de início da série do ciclo de cinco debates virtuais sobre as cidades. Todos os vídeos estão disponibilizados no site e na página da fundação no Facebook.

O livro reúne um grupo de 20 articulistas com abordagens instigantes sobre as cidades e seu futuro. O evento do Ibmec terá mediação do economista Jackson De Toni, doutor em Ciência Política, mestre em Planejamento Urbano e Regional e professor de Formulação e Avaliação de Políticas Públicas no instituto. Ele vai abordar a gestão municipal.

“Nos últimos trinta anos, transferiu-se para os municípios, de forma assimétrica e desproporcional, uma gama enorme de pautas e agendas que os prefeitos e as cidades não estavam preparados para assumir”, observa De Toni.

Entre os convidados está o doutor em Engenharia Roberto Alvarez, diretor executivo da GFCC (Federação Global de Conselhos de Competitividade), organização global sediada em Washington e presente em mais de 30 países. O autor vai destacar os principais desafios para inovação e sustentabilidade das cidades.

“Olhar para o que acontece nas cidades neste momento poderá dizer muito a respeito do nosso futuro coletivo e da nossa capacidade de construí-lo”, afirma Alvarez.

Também está confirmada a participação do fundador do Urbem (Instituto de Urbanismo e Estudos para a Metrópole), Philip Yang. O especialista vai analisar a relação entre a política urbana e a desigualdade social, tendo como pano de fundo o cenário pós-pandemia do coronavírus.

Organizadora da revista Política Democrática e editora da Tema Editorial, a jornalista Beth Cataldo, mestre em Comunicação pela UnB (Universidade de Brasília) vai fazer uma apresentação do livro e explicar as motivações que justificaram sua edição especial. Ela também abordará a questão da comunicação e a vida urbana.

Veja vídeos do ciclo de debates A reinvenção das cidades

Indústria tem papel fundamental em inovação, dizem especialistas em webinar

Webinar da Política Democrática especial discute caminhos da inovação

Caótica, São Paulo tem ‘frestas poéticas’, avaliam especialistas em webinar

Webinar da Política Democrática impressa discute espaços de transformação urbana

Desigualdade socioespacial requer soluções de prefeitos, dizem especialistas

Webinar da Política Democrática impressa aborda meio ambiente e ocupação

Cenário da pandemia pode impulsionar desaglomeração, dizem especialistas

Ciclo de debates online discutirá impactos da pandemia na vida urbana

Especialistas apontam desafios e indicam rumos para gestão de municípios

Ciclo de debates A reinvenção das cidades tem início nesta quarta-feira (30)

FAP e Tema Editorial lançam publicação sobre cidades


Batalha de poesias do Slam DéF definirá novo finalista para disputa de dezembro

Com transmissão da Biblioteca Salomão Malina, evento online será realizado nesta quinta-feira

Cleomar Almeida, assessor de comunicação da FAP

Com apoio Biblioteca Salomão Malina, mantida pela FAP (Fundação Astrojildo Pereira) em Brasília, o grupo Slam-DéF realiza, nesta quinta-feira (12), das 19h às 20h30, a segunda e última classificatória online de poetas e poetisas que se inscreveram para concorrer a uma vaga da final da batalha de poesias, que será realizada em dezembro. A transmissão será realizada pela página da biblioteca no Facebook e pelo site da fundação, simultaneamente.

Assista ao vídeo!




Na batalha classificatória desta quinta-feira, a última vaga da final será disputada por poetas e poetisas que se inscreveram, até o dia 19 de outubro, por meio de formulário na internet. Outra semifinal de candidatos foi realizada no dia 22 de outubro, também de forma virtual, em razão das regras de distanciamento social recomendadas por autoridades sanitárias durante a pandemia do coronavírus.

A retomada das competições teve como objetivo criar novo ranking de pontuações para a disputa do prêmio da etapa final, que será realizada em dezembro. O vencedor dessas próximas edições vai competir com o poeta Mano Dablio, ganhador da última batalha de poesias, realizada no mês de setembro.

Assim como nas edições presenciais, que eram realizadas até o início da pandemia da covid-19, a competição contará com a participação de jurados voluntários, convidados pelo coordenador e produtor do Slam DéF, Will Júnio.  Eles também participarão virtualmente para votar nas melhoras performances poéticas dos inscritos.

Interessados podem solicitar mais informações por meio do whatsapp oficial da Biblioteca Salomão Malina (61 984015561).

O slam nasceu em Chicago, Estados Unidos, nos anos 1980. Chegou ao Brasil duas décadas depois. No Distrito Federal, começou em 2015, com o Slam-DéF, que também atua no Entorno. O grupo integra diversas pessoas de qualquer idade, cor, raça, etnia e orientação sexual.

Veja vídeos de batalha de poesias do Slam-DéF:

Biblioteca Salomão Malina transmite batalhas de poesias do Slam-Déf

Biblioteca Salomão Malina transmite final da batalha de poesias Slam-DéF

Apoiado pela Biblioteca Salomão Malina, Slam-DéF realiza eliminatórias em agosto

Mulheres da periferia discutem sociedade sexista em live da Biblioteca Salomão Malin


Indústria tem papel fundamental em inovação, dizem especialistas em webinar

Evento online encerrou programação da recém-lançada revista Política Democrática especial sobre cidades

Cleomar Almeida, assessor de comunicação da FAP

O setor de indústria deve assumir protagonismo na inovação no Brasil, que deve ser estimulada por meio de parcerias público-privadas e investimentos em educação. A análise é de especialistas que participaram, na noite desta quarta-feira (29), do quinto e último encontro do ciclo de debates online da programação de lançamento da 55ª edição da revista Política Democrática impressa, que inaugurou sua versão temática com o título A reinvenção das cidades. O evento teve transmissão ao vivo no site e na página da FAP (Fundação Astrojildo Pereira) no Facebook.

Clique aqui e adquira já a sua revista Política Democrática!

A publicação foi lançada, oficialmente, no dia 30 de setembro, com a realização do primeiro encontro do ciclo de debates online, e colocada à venda na internet com o objetivo de colaborar com as discussões de melhorias das cidades, às vésperas das eleições municipais. Todos os eventos da programação foram mediados pelo sociólogo e diretor da FAP Caetano Araújo e tiveram presença permanente da jornalista Beth Cataldo, da Tema Editorial, que, em parceria com a fundação, coeditou a revista.

Autor do texto Em busca da cidade sustentável e empreendedora, publicado na revista, o doutor em engenharia e diretor executivo da Federação Global de Conselhos de Competitividade (GFCC), Roberto Alvarez, disse que “o Brasil é um país pouco inovador”, considerando métricas internacionais. Segundo ele, dados da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) mostram que o crescimento econômico de seus países membros é explicado pela inovação.

Confira o vídeo!



No Brasil, desde 2003, o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) realiza um trabalho com 75 mil empresas no país, que correspondem a 97,5% do produto da indústria brasileira. “Empresas que inovam e diferenciam produtos crescem mais, exportam mais, são mais lucrativas e geram mais e melhores empregos, que remuneram melhor os trabalhadores e nos quais as pessoas permanecem por mais tempo”, afirmou Alvarez. “Inovação é fundamental para o crescimento econômico”, disse.

De acordo com Alvarez, a baixa conexão do país com o restante do mundo é um problema, considerando a perspectiva de pessoas. Ele observou que a média mundial de imigrantes é de 3,5% em relação ao total da população de cada país. Nos Estados Unidos, 15% dos moradores nasceram fora. No Brasil, estrangeiros representam apenas 0,3% dos habitantes. “Fomos um país de imigrantes. A nossa sociedade hoje oxigena pouco e tem poucas conexões com o mundo, o que representa gargalo muito grande para capacidade de inovar e levar coisas novas para o mundo”, criticou o diretor da GFCC, organização sediada em Washington (EUA) e presente em mais de 30 países.

Mais recursos

O professor André Corrêa d'Almeida, da Universidade de Columbia e conselheiro sênior da Academia de Ciências de Nova Iorque, alertou que o discurso de inovação centrado em tecnologia e dados não ajuda 99% das cidades do mundo por causa da falta de recursos para executar os projetos. Ele escreveu o texto Cidades mais inteligentes no Brasil: teoria e prática, publicado na revista e produzido em parceria com Clara Clemente Langevin.

Autor de Smarter New York City: How City Agencies Innovate, d’Almeida também citou a importância de fortalecer os meios de implementação e revitalizar parceria global para o desenvolvimento sustentável. É o que já prevê o último dos 17 objetivos da Agenda 2030, um plano global proposto pela ONU (Organização das Nações Unidas) e que ainda é formado por 169 metas. “A indústria tem que desempenhar um papel de frente”, sugeriu.

O autor fez um alerta para que a discussão do assunto não fique apenas “no plano das ideias, das visões”. “Na realidade local, dos municípios, não nas grandes empresas, é preciso mapear o que já existe de talento, iniciativa e experimentações para desenvolver agenda de inovação a partir do que já existe”, afirmou d’Almeida. Segundo ele, a falta de autonomia financeira das cidades é outra grande barreira para processos inovadores.

Clara Clemente, que tem MBA em Prática de Desenvolvimento da Columbia University e é especializada em utilizar tecnologias emergentes no setor público, destacou que uma gestão baseada em inovação toma decisões sustentadas em dados. “Para ter uma gestão de cidades inteligentes no Brasil, é importante criar uma rede de partes interessadas para garantir processo holístico e que tenha olhar para toda a sociedade”, enfatizou.

Barreiras políticas

Convidado para debater o assunto com os autores de textos publicados na nova edição da revista Política Democrática, o presidente do Conselho de Administração da FAS (Fundação Amazonas Sustentável), engenheiro civil Benjamin Sicsú, criticou a falta de governança no Brasil em busca de processos inovadores. Segundo ele, barreiras políticas ainda precisam ser superadas para implementá-los, efetivamente.

Sicsu, que também é ex-ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio e ex-vice-presidente de novos negócios da Samsung Eletronics para a América Latina, sugeriu mais integração entre instituições para o desenvolvimento de ações inovadoras. “No Brasil, diferente de outras países, o número de pesquisas colaborativas é muito pequeno. Entidades associativas não trabalham de forma que as empresas possam encontrar, em conjunto, soluções para problemas’, lamentou.

Além disso, o engenheiro ressaltou a importância de criação de banco de dados que possam ser compartilhados com a sociedade a fim de estimular processos inovadores. “Precisamos armazenar e difundir informações de coisas boas e de coisas que não deram certo, para outros não repetirem os erros”, afirmou, ressaltando a importância de mais investimentos em educação. “Não teremos inovação com baixíssimo nível educacional. O [baixo] nível de inovação brasileiro só será resolvido com patamar superior de educação”, destacou.

Ficha técnica

Título: A reinvenção das cidades – Revista Política Democrática edição 55
Número de páginas: 282
Projeto gráfico e diagramação: Rosivan Pereira
Revisão textual: Mariana Ribeiro
Preço versão impressa: R$ 45,00
Publicação: Fundação Astrojildo Pereira (FAP) e Tema Editorial

Leia também:

Webinar da Política Democrática especial discute caminhos da inovação

Caótica, São Paulo tem ‘frestas poéticas’, avaliam especialistas em webinar

Webinar da Política Democrática impressa discute espaços de transformação urbana

Desigualdade socioespacial requer soluções de prefeitos, dizem especialistas

Webinar da Política Democrática impressa aborda meio ambiente e ocupação

Cenário da pandemia pode impulsionar desaglomeração, dizem especialistas

Ciclo de debates online discutirá impactos da pandemia na vida urbana

Especialistas apontam desafios e indicam rumos para gestão de municípios

Ciclo de debates A reinvenção das cidades tem início nesta quarta-feira (30)


Webinar da Política Democrática especial discute caminhos da inovação

Evento online terá participação de Roberto Alvarez, André Corrêa d'Almeida, Clara Clemente Langevin e Benjamin Sicsu

Cleomar Almeida, assessor de comunicação da FAP

Caminhos da inovação serão discutidos, nesta quarta-feira (28), a partir das 19 horas, no quinto e último webinar da programação de lançamento da 55ª edição da revista Política Democrática impressa, cujo título é A reinvenção das cidades, mesmo nome do ciclo de debates. O evento online será transmitido, ao vivo, no site e na página da FAP (Fundação Astrojildo Pereira) no Facebook.

Clique aqui e adquira já a sua revista Política Democrática!

A publicação, produzida e editada pela FAP em parceria com a Tema Editorial, foi lançada no dia 30 de setembro, durante o primeiro debate online, e já está à venda na internet. A mediação do debate será realizada pelo sociólogo e diretor da FAP Caetano Araújo, que também é consultor do Senado. A jornalista Beth Cataldo, organizadora da edição temática, também tem participação permanente na série de webinars.

Confira o vídeo!



Por meio da sala virtual do zoom, os internautas poderão interagir diretamente com os debatedores, autores de análises sobre inovação publicadas na revista Política Democrática impressa. Participa da discussão o doutor em engenharia e diretor executivo da Federação Global de Conselhos de Competitividade (GFCC), Roberto Alvarez. A organização global é sediada em Washington (EUA) e está presente em mais de 30 países.

Também tem presença confirmada no evento online o professor André Corrêa d'Almeida, da Universidade de Columbia, conselheiro sênior da Academia de Ciências de Nova Iorque e autor de Smarter New York City: How City Agencies Innovate. Clara Clemente Langevin, que tem MBA em Prática de Desenvolvimento da Columbia University e é especializada em utilizar tecnologias emergentes no setor público, é outra debatedora.

Além deles, o público poderá interagir com o engenheiro civil Benjamin Sicsú, convidado para debater com os autores. Ele foi ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio e vice-presidente de novos negócios da Samsung Eletronics para a América Latina. É presidente do Conselho de Administração da FAS (Fundação Amazonas Sustentável).

Ficha técnica

Título: A reinvenção das cidades – Revista Política Democrática edição 55
Número de páginas: 282
Projeto gráfico e diagramação: Rosivan Pereira
Revisão textual: Mariana Ribeiro
Preço versão impressa: R$ 45,00
Publicação: Fundação Astrojildo Pereira (FAP) e Tema Editorial

Leia também:

Caótica, São Paulo tem ‘frestas poéticas’, avaliam especialistas em webinar

Webinar da Política Democrática impressa discute espaços de transformação urbana

Desigualdade socioespacial requer soluções de prefeitos, dizem especialistas

Webinar da Política Democrática impressa aborda meio ambiente e ocupação

Cenário da pandemia pode impulsionar desaglomeração, dizem especialistas

Ciclo de debates online discutirá impactos da pandemia na vida urbana

Especialistas apontam desafios e indicam rumos para gestão de municípios

Ciclo de debates A reinvenção das cidades tem início nesta quarta-feira (30)


Biblioteca Salomão Malina transmite batalhas de poesias do Slam-Déf

Novas edições vão escolher segundo finalista, que vai competir com Mano Dablio na disputa pelo prêmio do ano

Cleomar Almeida, assessor de comunicação da FAP

Poetas e poetisas do Distrito Federal podem se inscrever, até dia 19 de outubro, por meio de formulário na internet, para participarem das próximas edições online da batalha de poesias do Slam-DéF. A primeira delas será realizada no próximo dia 22, com transmissão ao vivo pela página da Biblioteca Salomão Malina no Facebook.

Clique aqui e preencha o formulário de inscrição

Serão disponibilizadas 15 vagas. A FAP (Fundação Astrojildo Pereira), mantenedora da biblioteca, realiza a retransmissão dos eventos online em seu site e em sua página no Facebook. Interessados podem solicitar mais informações por meio do whatsapp oficial da Biblioteca Salomão Malina (61 984015561).

Confira o vídeo!



A retomada das competições tem como objetivo criar um novo ranking de pontuações para a disputa do prêmio da etapa final, que será realizada em dezembro. O vencedor dessas próximas edições vai competir com o poeta Mano Dablio, ganhador da última batalha de poesias, realizada no mês de setembro.

Assim como nas edições presenciais, que eram realizadas até o início da pandemia da covid-19, a competição contará com a participação de jurados voluntários, convidados pelo coordenador e produtor do Slam DéF, Will Júnio.  Eles também participarão virtualmente para votar nas melhoras performances poéticas dos inscritos. 

O slam nasceu em Chicago, Estados Unidos, nos anos 1980. Chegou ao Brasil duas décadas depois. No Distrito Federal, começou em 2015, com o Slam-DéF, que também atua no Entorno. O grupo integra diversas pessoas de qualquer idade, cor, raça, etnia e orientação sexual.

Veja vídeos de batalha de poesias do Slam-DéF:

Biblioteca Salomão Malina transmite final da batalha de poesias Slam-DéF

Apoiado pela Biblioteca Salomão Malina, Slam-DéF realiza eliminatórias em agosto

Mulheres da periferia discutem sociedade sexista em live da Biblioteca Salomão Malina


Caótica, São Paulo tem ‘frestas poéticas’, avaliam especialistas em webinar

Artur Rozestraten, Diogo Augusto Mondini Pereira, Gabriel Mazzola Poli de Figueiredo e Tuca Vieira participaram de ciclo de debates de lançamento da Política Democrática

Cleomar Almeida, assessor de comunicação da FAP

A cidade de São Paulo oferece “frestas poéticas”, apesar de sua característica predominantemente caótica e onde a busca pela modernidade não redundou, necessariamente, no moderno. A avaliação é de especialistas que participaram, na noite desta quarta-feira (21), do quarto e penúltimo encontro online do ciclo de debates A reinvenção das cidades, mesmo título da 55ª edição da revista Política Democrática impressa, produzida pela FAP (Fundação Astrojildo Pereira) em parceria com a Tema Editorial.

Clique aqui e adquira já a sua revista Política Democrática!

Os webinars integram a programação de lançamento da revista, que ocorreu no dia 30 de setembro. Participaram do quarto debate o professor Artur Rozestraten, da FAU-USP (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo), o arquiteto e urbanista Diogo Augusto Mondini Pereira, o engenheiro eletrônico Gabriel Mazzola Poli de Figueiredo e o fotógrafo Tuca Vieira, autor do premiado Altas Fotográfico da cidade de São Paulo.

Confira o vídeo!



Integrantes do grupo de pesquisa RITe (Representações: Imaginário e Tecnologia) junto ao CRI2i (Centre de Recherches Internationales sur L’Imaginaire), Rozestraten, Pereira e Figueiredo produziram, em coautoria, a análise A cidade de São Paulo do futuro no presente descontínuo, que o tempo todo dialoga com fotografias de Vieira. O texto está publicado na terceira parte da revista Política Democrática.

“A compreensão de São Paulo como uma totalidade demanda a construção abstrata da interdependência entre uma descontinuidade de lugares distintos com identidades próprias, que, como microcosmos relativamente autônomos, constituem no espaço a tessitura de um todo: uma galáxia luminosa e enigmática, como a imagem que vemos pela janela do avião à noite antes de aterrissar em Cumbica”, diz um trecho do texto.

Dimensão do imaginário

Durante sua apresentação, Rozestraten explicou que eles começaram a produzir a análise a partir da dimensão do imaginário em torno da cidade de São Paulo, transformado pela situação singular da pandemia. “Tentamos fazer uma reflexão que partisse da inquietação, dúvida, para compreender o fenômeno urbano”, afirmou, ressaltando que a análise avança para uma linha mais especulativa e projetual, já que contempla incógnitas e imprevisibilidades.

“A redação era motivada por imagens, e estava muito presente a produção do Tuca Vieira, com material que ele estava compartilhando no Instagram”, disse o professor da USP. “Percebemos que a construção do texto não conferia às imagens papel ilustrativo, mas estrutural dentro dele. O texto passa por distintas imagens do universo da literatura, do cinema, da música e da arquitetura, fortalecendo o imaginário”, asseverou.

Pereira, por sua vez, lembrou que São Paulo seria um modelo do desenvolvimentismo brasileiro. “Uma modernidade que não redundou num país moderno, mas que oferece frestas poéticas, como o minhocão, uma estrutura da ditadura militar que se tornou espaço público transformado, de liberdade”, ressaltou, acrescentando que a via também virou espaço para lazer e atividades culturais.

As frestas poéticas são analisadas pelos autores no texto publicado na revista Política Democrática. “Se uma dimensão corporativa, especulativa, desenha esta cidade diante de uma lógica de rentabilização do solo, diante da privatização dos espaços públicos, da segurança e da vida urbana, São Paulo apresenta frestas poéticas, nas quais ainda se pode vislumbrar sua natureza primeira, como o Pico do Jaraguá a partir das marginais, o perfil da Serra da Cantareira desde a região central da Luz”, afirma um trecho.

Cidades inteligentes

Já Figueiredo chamou a atenção para as chamadas “cidades inteligentes”, modelo defendido nas promessas de campanha de muitos candidatos a prefeito dos municípios brasileiros. “Pessoal, quando fala de cidades inteligentes, já chega querendo apresentar solução, resolver, vender projeto, sendo que, muitas vezes, a gente sequer sabe como funciona a dinâmica urbana”, criticou. “Cidades inteligentes é um tema guarda-chuva. Tem uma série de tecnologias e visões de cidades, mas é o tema da vez. Todo mundo quer cidades inteligentes”, disse, em outro momento.

De acordo com o engenheiro eletrônico, é preciso se pensar nos impactos sistêmicos da tecnologia. “Se quer pensar como vamos usar tecnologia para transformar as cidades e produzir resultados que levem a ganho de vida, à redução da desigualdade e à ampliação de acesso das pessoas a elas, é necessário qualificar o debate e pensar de maneira sistêmica e tentar entender uma forma de projetar com o grau de complexidade”, afirmou. Para ele, é necessário desenvolver novas técnicas cognitivas, ferramentas educacionais e olhar voltado não para fornecer solução, mas para questionar as cidades com olhar crítico.

O fotógrafo, em sua apresentação, questionou o uso da palavra cidade para se referir a São Paulo. “A gente continua usando a mesma palavra cidade, desde pequenos povoados até uma megalópole como São Paulo”, afirmou. “A gente segue tentando enquadrar São Paulo nessa definição, mas, para mim, ela cresceu tanto que rompeu, em determinado momento, e se tornou outra coisa. Enfrentar essa questão é fundamental. A palavra cidade também é uma representação da cidade”, disse.

A série de debates tem mediação do sociólogo e diretor da FAP Caetano Araújo, que também é professor da UnB (Universidade de Brasília), e participação permanente da jornalista Beth Cataldo, da Tema Editorial. Todos webinars da Política Democrática são transmitidos no site e na página da fundação no Facebook, nos quais os vídeos ficam disponíveis para internautas, que também podem conferir a discussão dos especialistas no canal da entidade no Youtube.

Ficha técnica

Título: A reinvenção das cidades – Revista Política Democrática edição 55
Número de páginas: 282
Projeto gráfico e diagramação: Rosivan Pereira
Revisão textual: Mariana Ribeiro
Preço versão impressa: R$ 45,00
Publicação: Fundação Astrojildo Pereira (FAP) e Tema Editorial

Leia também:

Webinar da Política Democrática impressa discute espaços de transformação urbana

Desigualdade socioespacial requer soluções de prefeitos, dizem especialistas

Webinar da Política Democrática impressa aborda meio ambiente e ocupação

Cenário da pandemia pode impulsionar desaglomeração, dizem especialistas

Ciclo de debates online discutirá impactos da pandemia na vida urbana

Especialistas apontam desafios e indicam rumos para gestão de municípios

Ciclo de debates A reinvenção das cidades tem início nesta quarta-feira (30)


Biblioteca Salomão Malina realiza webinar sobre cultura e representação política

Evento online será nesta terça (20), com mediação do jornalista Luiz Carlos Azedo

Cleomar Almeida, assessor de comunicação da FAP

A Biblioteca Salomão Malina realiza, nesta terça-feira (20), a partir das 19 horas, webinar sobre cultura e representação política. Mediado pelo jornalista e diretor-geral da FAP (Fundação Astrojildo Pereira), Luiz Carlos Azedo, o evento online terá transmissão ao vivo e participação da escritora e conselheira de Cultura no Distrito Federal Cleide Soares.

O encontro virtual também vai discutir como o livro é instrumento de formação de cultura, arte e educação. Na ocasião, os participantes irão explicar a construção desse mandato no próprio partido, no âmbito do TRE (Tribunal Regional Eleitoral), e como têm  desenvolvido a campanha eleitoral da bancada do livro. Cleide também é bibliotecária e gestora cultural. Foi integrante do Colegiado Nacional Setorial de Livro, Leitura e Literatura, do Conselho Nacional de Política Cultural do Ministério da Cultura.

Assista ao vídeo!

A seguir, confira nomes da bancada do livro e seus respectivos objetivos de pauta:

» Vanessa Daya: articular a RCBC (Rede Carioca de Bibliotecas Comunitárias) e desenvolver fomento que possa garantir recursos e visibilidades a esses trabalhos;

» Carol Guedes: legalizar e valorizar o trabalhador ambulante;

» Eliseu Neto: desenvolver projeto de vida nas escolas, com ideais de escola com noções de direito e de profissões de níveis superior, técnico e informal;

» José Couto Júnior: criar a FEIRARTE na comunidade da Perereca, em Senador Camará;

» Neliana Silva: valorizar secretários escolares municipais;

» Ygor Lioi: propor ampliação de horário de creches municipais e conveniadas;

» Eliza Morenno: fomentar ações culturais na rede pública de ensino;

» Paloma Maulaz: estimular rede colaborativa de feiras e festas literárias na cidade;

» Gledson Vinícius: articular rede carioca de bibliotecas comunitárias.

O webinar terá transmissão ao vivo na página da biblioteca no Facebook. A FAP realizará a retransmissão, em tempo real, em seu site e em sua página na rede social. O vídeo do evento online também ficará arquivado no canal da fundação no Youtube.
Leia também:

Veja vídeos de outros webinars da Biblioteca Salomão Malina:

Educação de excelência com equidade é tema de webinar da Biblioteca Salomão Malina

Historiadores debatem 50 anos da Unidade Popular em live da Biblioteca Salomão Malina

Webinar da Biblioteca Salomão Malina discute desafios da educação pós-pandemia

Webinar da Biblioteca Salomão Malina discute saúde mental no novo normal

Desafios do empreendedorismo feminino é tema de live da Biblioteca Salomão Malina

Webinar da Biblioteca Salomão Malina discute desafios para vida nas periferias

Marina Silva e Roberto Freire discutem sustentabilidade em webinar

Especialistas participam de webinar para debater economia após pandemia

“O que virá depois?” é tema de webinar da Biblioteca Salomão Malina