Page 8 - Revista Política Democrática Online V17
P. 8

COVID19. NEM TUDO É TERRÍVEL NESSES TEMPOS DIFÍCEIS. - JOAN DEL ALCÁZAR

                                Covid19. Nem tudo é terrível



                                     nesses tempos difíceis.





    “                Pandemia virótica do Covid-19 muda hábitos em todo o mundo, abrindo
                     uma janela para o desconhecido, o impensável, o inesperado, avalia Joan
                     Del Alcázar em artigo


        SÃO TEMPOS DIFÍCEIS E, AO QUE

        TUDO INDICA, DURADOUROS. NÃO                                                                                Foto: D.R./Postal
        HÁ PREVISÕES CONFIÁVEIS, NEM

        PRAZOS A CUMPRIR. HOJE POR HOJE,

        TRATA-SE DE RESISTIR, DE PROTEGER
        OS OUTROS E DE NOS PROTEGER,

        DE CUIDAR PARA NÃO COLAPSAR OS

        SERVIÇOS SANITÁRIOS E DE CONFIAR
        NAS AUTORIDADES QUE ESTÃO SENDO

        ORIENTADAS POR CRITÉRIOS E
                                             “         de todo o planeta sobre tudo que envolve o novo coronavírus
        RELATÓRIOS DOS PERITOS                         Técnico realiza exame para detectar a Covid-19: comunidade científica
                                                       já publicou mais de 160 artigos acadêmicos de mais de 700 pesquisadores




                         stamos vivendo dias complicados. Abriram-  des, cerram as portas sine die e nos ordenam
                         -nos imensa janela para o desconhecido, o  a permanecer em casa, para evitar o contágio
                         impensável, o inesperado, há não mais do  e a transmissão do vírus. Todas, absolutamente
                    Eque um par de meses. Não é uma amea-     todas, as preocupações que polarizam a vida
                     ça tangível, como outras que conhecemos. Não  pública do país foram relegadas ao escaninho
                     temos experiência alguma na gestão de uma  dos problemas secundários.
                     pandemia virótica, que pensávamos tivesse sido   Descobrimos quantas inércias e quantos pro-
                     desterrada do mundo desenvolvido, caso tivesse  tocolos tivemos de abandonar. A vida social se
                     tido origem em países pobres e atrasados.  reduziu ao máximo. Não é só que tivemos de dei-
                       Pois não foi isso. Há poucas semanas tínhamos  xar de nos beijar e abraçar; que passamos a nos
                     programado viagens de férias ou a trabalho; só  cumprimentar, como os japoneses, sempre tão
                     esperávamos o início das festas populares, dessas  cerimoniosos e distantes. Agora já nem podemos
                     que  atraem multidões, ou simplesmente ano-  sair à rua, a não ser por causa muito justificada.
                     távamos na agenda dias de descanso e deleite.   São tempos difíceis e, ao que tudo indica, dura-
                     E, de repente, de golpe, tudo voou pelos ares.  douros. Não há previsões confiáveis, nem prazos
                     O país entra em estado de alarme, as cifras de  a cumprir. Hoje por hoje, trata-se de resistir, de
                     contágio crescem, as decisões das autoridades  proteger os outros e de nos proteger, de cuidar
                     têm de ser renovadas dia após dia, nossa vida co-  para não colapsar os serviços sanitários e de con-
                     tidiana se põe de cabeça para baixo, fecham-se  fiar nas autoridades que estão sendo orientadas
                     restaurantes, cafés, cinemas, teatros e museus. Os  por critérios e relatórios dos peritos. Tudo parece
                     centros educativos, do pré-escolar às universida-  mal, terrível, insuportável. Mas não é.




        8                                       REVISTA POLÍTICA DEMOCRÁTICA                           MARÇO 2020
   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13