Page 9 - Revista Política Democrática Online V17
P. 9

JOAN DEL ALCÁZAR - COVID19. NEM TUDO É TERRÍVEL NESSES TEMPOS DIFÍCEIS.

                     Nem tanto, pelo menos. Como recordava uma
                   dessas ideias que circulam pelas redes sociais: “A
                   nossos pais e a nossos avós, mandavam à guerra;
                   a nós, nos mandam para casa. Calma”. Isso, cal-
                   ma e paciência.
                     Além disso, nem tudo é terrível e negativo. Há
                   também fatos e razões que são, sem dúvida, po-                                                    Foto: Alissa Eckert, MS;Dan Higgins/Folding@Home
                   sitivos e merecem alguma reflexão nesse período
                   de resistência em que estamos encalacrados. Ve-
                   jamos alguns:
                     1. Quando detectaram os primeiros casos do que
                   depois seria o AIDS, em 1981, tardaram dois anos
                   para identificar o vírus. Os primeiros casos de Co-
                   vid19 foram detectados no último dia de 2019 e,   Imagem artística do coronavírus Covid-19: “Não temos
                                                                experiência alguma na gestão de uma pandemia virótica, que
                   em 7 de janeiro de 2020, já se sabia que vírus era.   pensávamos tivesse sido desterrada do mundo desenvolvido, caso
                   Mais ainda: o genoma do vírus estava disponível três   tivesse tido origem em países pobres e atrasados”, diz Alcázar
                   dias depois. Hoje, passaram-se escassos dois meses.
                     2. A comunidade científica já publicou mais de   5. É verdade que verificamos comportamentos
                   160 artigos acadêmicos de mais de 700 pesquisa-  individuais ou de grupo que são maus e reprováveis,
                   dores de todo o planeta sobre tudo que envolve o  em graus distintos. Outros merecem mais o qualifi-
                   Covid19. E, mesmo que tardem meses para poder  cativo de comportamentos estúpidos, próprios de
                   utilizar-se de maneira corrente, já existem protóti-  pessoas de baixa capacidade intelectual e humana.
                   pos de vacinas.                            Mas tomamos, ao mesmo tempo, conhecimento
                     3. Sabemos que 80% dos contágios têm índice  de iniciativas de solidariedade, ajuda e cooperação
                   leve de gravidade, e que a maioria do infectados  especialmente com os mais frágeis. Desde os vizi-
                   se curam.                                  nhos que organizaram a atenção a anciãos que vi-
                     4. Confirmamos uma teoria em que os psicólo-  vem sós até as redes que se ocuparam de crianças,
                   gos sociais vêm trabalhando há tempos: o interesse  cujos pais tinham de sair de casa para ir trabalhar.
                   coletivo mobiliza mais e melhor do que o individual.   6. Os meios de comunicação deixaram de lado,
                   Isto é, diante de um risco, há muitos indivíduos que  em sua maioria, o sensacionalismo (tremendismo),
                   estão dispostos a assumi-lo, mas não tantos se essa  com as exceções habituais, que nem vale a pena
                   atitude acarreta riscos para os outros. Temos mais  mencionar. Tem sido frequente encontrar naqueles
                   cuidados se nosso comportamento prejudica os ou-  meios recomendações e protocolos de comporta-
                   tros que se os afetados somos nós mesmos. Como  mento para o público em geral, informações de ser-
                   se sabe, dirigir um carro com crianças a bordo nos  viço úteis e necessárias nesses dias.
              “                                               da saúde pública. Sabemos em que condições es-
                   faz mais conservadores e seguros ao volante.
                                                                7. Capítulo especial merecem os profissionais
                                                              tão trabalhando, sob que pressão e em que níveis
                                                              de risco. É em momentos como o atual que com-
                   DESCOBRIMOS QUANTAS INÉRCIAS
                   E QUANTOS PROTOCOLOS TIVEMOS               provamos a qualidade da inversão dos recursos
                                                              públicos nas instalações sanitárias, na formação
                                                              e sentido do dever dos funcionários dos serviços
                   DE ABANDONAR. A VIDA SOCIAL SE             de saúde, desde o pessoal de apoio e de limpeza
                                                              aos auxiliares, os enfermeiros e os médicos. Conviria
                   REDUZIU AO MÁXIMO. NÃO É SÓ                que, passado o tsunami, não nos esqueçamos deles
                   QUE TIVEMOS DE DEIXAR DE NOS               e seu desempenho titânico.
                                                                Não precisamos nos exceder. O tema não se con-
                   BEIJAR E ABRAÇAR; QUE PASSAMOS             clui hoje, e voltaremos a escrever sobre ele. Lem-
                                                              brem que a palavra de ordem é resistir para vencer.
                   A NOS CUMPRIMENTAR, COMO                   Não será fácil, mas, me recordava um amigo, não
                                                              será fácil, mas é seguro.
                   OS JAPONESES, SEMPRE TÃO                               SAIBA MAIS SOBRE O AUTOR
                                                      “
                   CERIMONIOSOS E DISTANTES                                  JOAN DEL ALCÁZAR








       MARÇO 2020                               REVISTA POLÍTICA DEMOCRÁTICA                                    9
   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13   14